Take Ensina

Minha foto

Tenho uma produtora de videos a Take Seven video e produções e professor de cinema radio e TV também como professor de criatividade em propaganda criação publicitaria e velejar que sempre fez parte do meu DNA e agora, além de minha maior diversão, é também o meu trabalho. Quiseram as forças do destino, com a ajuda de alguns amigos, que eu embarcasse na tripulação da DYC, uma empresa de excelência na locação de veleiros de 36 a 41 pés, atuando como skyper e responsável pelas vendas em São Paulo e região. Convido você a conhecer um pouco mais deste mundo feito de mar, sol e velejadas emocionantes, em Angra dos Reis, uma das paisagens mais bonitas do nosso litoral.
 .estas são minhas três principais atividades profissionais.  

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Ilhas salomao O GRITO


" Nas Ilhas Salomão, no Pacífico Sul, os nativos descobriram um jeito inusitado de derrubar árvores. Se algum tronco é grosso demais para ser abatido a machado, os nativos o cortam à gritos. Lenhadores dotados de poderes misteriosos sobem na árvore de manhã bem cedinho e, de repente, põe-se aos berros. E durante 30 dias, continuam berrando. A árvore morre e cai por terra. A explicação, dizem eles, é que, com a gritaria, matam o espírito da árvore e , ainda segundo os nativos, o método nunca falha.

Pobres inocentes e ingênuos! Como são pitorescos os hábitos da Selva! Imaginem só, derrubar árvores no grito... Que coisa mais primitiva! Que pena que não tenham ainda conquistado as vantagens da tecnologia moderna e da ciência!

E eu? Sim, grito com a minha mulher, grito ao telefone e grito também com o meu aparelho de cortar grama. Berro com a televisão, com o jornal, com os meus filhos. Até fui visto, de punhos cerrados, berrando contra os céus.
Meu vizinho vive gritando com o seu carro.
E para que serve tanta gritaria?
Sim é possível que os nativos da ilha tenham feito uma grande descoberta: seres vivos em geral, gente, árvores, são extremamente sensíveis a gritos. Gritar nestes casos, pode acabar matando o espírito que há em cada ser vivo. Com paus e pedras podemos partir ossos, mas com palavras partimos os corações."

Lembre-se: comunicação é a base dos relacionamentos.
As palavras devem ser suaves, pois os argumentos é que devem ser fortes.
A Qualidade do seu ambiente de trabalho  e da sua casa começa pelas suas atitudes consigo e com os demais. 


Sucesso em sua vida.

Este texto foi extraido do blog do Wilson Luquesi 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Atitude ( especial para minhas alunas)

Tenha atitude - A maneira como você se posiciona diante dos desafios no trabalho pode ser decisiva na sua carreira. Invista na assertividade

Tudo se embaralhou no mundo corporativo, especialmente conceitos estanques de comportamento de gênero. Não faz muito tempo, homens e mulheres começaram a se revezar nos postos de comando das grandes empresas. Sabe-se, porém, que ambos têm competências, virtudes e, sim, motivos para vacilar diferentes. Como, então, a executiva deve ser mais assertiva para colher mais frutos no trabalho? É uma questão de argumentação, de atitude ou tem a ver com a maneira de se vestir? 

Anita Kon, doutora em economia pela Universidade de São Paulo e coordenadora do Grupo de Pesquisas em Economia Industrial, não acredita que para ser assertiva a mulher deve falar grosso. "A capacidade de argumentação e convencimento pode ser, em geral, mais eficiente por meio da fala mansa", diz.

Para Renata Filippi, sócia-diretora da Mariaca, empresa de recrutamento de executivos, a mulher precisa ser focada, ao mesmo tempo em que deve absorver do universo masculino a racionalidade e a busca de resultados. "A flexibilidade feminina para ouvir e entender as necessidades alheias deve ser traduzida em ações", diz Renata. A executiva acredita que, hoje, são regras para poucas: "Já há muitas mulheres em áreas masculinas acostumadas com isso. Veja o caso das engenheiras e das profissionais de logística. Assertividade é com elas mesmas".

Eliana Molina, atualmente diretora sênior de RH da Herbalife, formada em secretariado executivo pela Fundação Getúlio Vargas e MBA Executivo pela FAAP, elencou o que se deve fazer e, principalmente, o que precisa ser evitado em situações bem específicas, Confira:

Numa reunião:
- Não monopolize a reunião.
- Certifique-se de que o fórum seja adequado para fazer os questionamentos ou compartilhar as informações. Se necessário, marque uma nova reunião com participantes específicos para tratar de temas pontuais.
- Peça a palavra e não interrompa a fala ainda incompleta do outro. Preserve-se ao mesmo direito quando não tiver completado sua fala.
- Não personifique os problemas. Trate de assuntos, de áreas, e não da pessoa que é o porta-voz.

Numa entrevista de trabalho:
- Evite temas polêmicos, como religião, futebol, política etc., a menos que lhe questionem diretamente e, se isso ocorrer, cuide para que o tema não seja polemizado.
- Seja fiel às suas convicções e evite dar respostas de acordo com o que você acha que o entrevistador gostaria de ouvir. na maioria das vezes não existem respostas certas ou erradas, mas uma intenção de traçar o perfil do candidato para averiguação de adequação à posição que está sendo postulada.
- Agradeça a oportunidade de participar do processo e coloque-se à disposição para eventuais informações que sejam necessárias posteriormente.

Numa entrega de feedback:
- Elogie em público e critique em particular.
- Agende feedback periodicamente (mínimo duas vezes ao ano) para conscientizar e criar oportunidade de melhorias antes de finalizar o processo de avaliação anual. Em outras palavras, não espere chegar o fim do ano para dizer que esperava que o funcionário fosse proativo ou que tivesse trabalhado em projetos no início do ano de forma diferente.
- Procure tratar de problema de desempenho como oportunidades e necessidades de melhoria. Não é fácil para ninguém receber feedback negativo, então seja cautelosa para não desmotivar, mas sim mostrar claramente onde há chance de melhorar.
- Sempre que possível, exemplifique com situações que ocorreram ? reconhecendo o positivo e pontuando falhas.

Num pedido de aumento:
- Esteja segura de suas responsabilidades, qualificações e práticas salariais do mercado para fazer uma abordagem firme e justa.
- Procure não se comparar a outro colega de trabalho, pois pode haver diferenças de competências, formação, escopo de função, responsabilidades diferenciadas e méritos individuais. Fale por si e por suas competências.
- Não blefe.
- Não pressione seu líder a ponto de deixá-lo sem saída. na maioria das vezes não depende dele aprovar o aumento salarial, e pode ocorrer de ele não conseguir a aprovação, por mais que tente, devido a diferentes momentos pelos quais a empresa passa.

Fonte: Portal Revista Você S/A


Declarações de Atitudes!

Gilclér Regina

Atitude é o comportamento ditado por uma disposição interior que nos leva a agir. Falar das boas atitudes pode mudar a vida de uma pessoa e compreende palavras como: Motivação; Dedicação; Empenho; Mudança, entre outras...

Motivação significa despertar o interesse. A motivação leva ao entusiasmo. Theos = Deos + Asmo = Sopro, isto é, um sopro divino em sua vida.

Dedicação significa entrega. Quem se dedica, se entrega. É a manifestação de amor. Há coisas em nossa vida que se não tivermos dedicação, fracassaremos.

Empenho é uma grande disposição numa insistência obstinada. Como você tomará decisões e atitudes na vida se você não está disposto a tomá-las de verdade?

Mudanças: Existem pessoas que acreditam que mudarão de vida do dia para a noite, como acontece nos filmes. Porém, as mudanças são fruto de renúncias, nova postura, ruptura, quebra...

Sabemos que alguma coisa é significativa para nós quando passa do cérebro para o coração e do coração para a ação. Muitas pessoas param no coração e não seguem...

Não basta mudar, é preciso mostrar que mudou. Não basta orar, é preciso ir ao encontro de Deus. Não basta amar, é preciso demonstrar que ama. Que atitudes você está tomando na sua vida? Lembre-se, toda mudança gera resistência, gera uma crise inicial e exige tempo, aprendizado. Tem que praticar.

Como está sua vida familiar, seu trabalho, seus negócios? Tudo aquilo que não tiver sua atenção, seu foco e ação, detonará. O amor precisa ser demonstrado com atitudes. A propósito, você já deu um sorriso hoje? 


Colaboração: Jorge Pedro
Coaching(Executive, Self, Lider) 
& Analista Comportamental

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

respeito profissional

Tudo começou quando apareceu  meu Facebook um post  da Carla Zatorre, minha ex aluna e uma profissional competentíssima com uma sensibilidade a flor da pele, que falava sobre profissionalismo dedicação, respeito profissional. formação etc. e como professor estes assuntos estes  me interessam muito Achei pertinente e transcrevi aqui no meu blog..Bem achei que deveria colocar todos os comentários.
me perdoem por colocar todos os comentários e com os respectivos nomes identificados sem as devidas autorizações.
Leiam e muito  legal

Segue......
  • Trabalho há 4 anos com redes sociais, há 8 anos estudo quase que diariamente sobre storytelling, comportamento do consumidor, branding, conteúdo, estatísticas (sim, tem matemática), marketing e todas as tendências: das mais populares como novelas as mais futuristas. Passo horas na Internet e não é por motivos de vício e sim porque é o meu trabalho.
    E todos os dias tem alguém que questiona o meu trabalho, como se fosse fácil ser um profissional de redes sociais... nenhuma profissão é fácil.
    O ponto é seguinte, hoje as marcas estão cada vez mais se humanizando e o consumidor está cada dia mais carente, logo a matemática é fácil. Consumidor carente + marcas se humanizando= precisamos falar a língua deles!!!
    É por isso que para conseguir uma conta o Itaú faz batalha de rima com o Santander. É por isso que o Pinguim fala, brinca com qualquer pessoa. Pra atingir o público feminino o Magazine Luiza tem Lu. O CCE entrou nas redes sociais com o "Carlão", o intuito é facilitar a conversa com usuário.
    Muitas empresas preferem personificar suas marcas através de personagens, outras como o Itaú preferem simplesmente criar uma imagem na imaginação do consumidor. Isso vai de cada estratégia da marca.
    Eu estudei anos pra entender e quais conversas eu posso ou não entrar, estudei muito pra saber de qual forma eu me comunico com um jovem e com um adulto.
    O triste é que as pessoas desdenham o seu trabalho achando que só pq vc é "brincalhona" você está fazendo besteira. Isso é triste...
    Tudo bem, um dia as pessoas entenderão o quanto é importante falar com todas as idades da forma que elas querem ser ouvidas.

    Desabafo que metade não vai ler.