terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Conteúdo e vendas: o que eles têm a ver? Aprenda!

Mais do que vender uma marca, você precisa entregar um conteúdo de valor e dar abertura para seu interlocutor falar

Administradores.com, Conteúdo especial para o meuSucesso.com, 
iStock
Tentar impactar clientes com propagandas tradicionais, em que só sua marca fala, e esperar que o público absorva aquilo de maneira passiva é algo cada vez mais ineficiente. A comunicação agora é horizontal. Os consumidores fazem questão de se colocar de igual para igual com as empresas e esperam que seu negócio entenda isso.
Mais do que vender uma marca, você precisa entregar um conteúdo de valor e dar abertura para seu interlocutor falar. O público que nasceu na era digital ou pelo menos entrou para o mundo do consumo quando a internet já havia se consolidado consome de uma maneira muito diferente dos seus pais. Portanto, as organizações precisam parar de se comunicar como antigamente.
Se você quer vender, produza conteúdo. Hoje, estudos apontam que mais de 90% dos consumidores pesquisam informações sobre os produtos na internet antes de decidirem uma compra. Muitas vendas também são fechadas depois que o prospect tem alguma experiência com o produto ou uma prévia dele.
Mas, afinal, de que maneira você pode utilizar o conteúdo para vender?
Demonstração e persuasão
Um simples vídeo informativo bem elaborado pode ser muito mais persuasivo do que uma campanha milionária. Demonstrar utilidades, funções que diferenciam um produto dos demais, aplicações que vão resolver problemas práticos das pessoas, tudo isso tem grande apelo vendedor e pode fazer a diferença.
- PUBLICIDADE -
Conteúdo que chama atenção para o produto
Essa estratégia consiste em produzir algo que se relacione de alguma maneira com seu produto ou serviço e oferecer gratuitamente. Isso vai atrair seu público alvo e facilitar seu acesso a ele quando quiser fazer ofertas mais agressivas. Por exemplo: você fabrica doces finos para festas, como aniversários e casamentos. Um blog com dicas de organização de festas ou orientações sobre quais os melhores doces para cada ocasião pode ser bastante eficiente.
Conteúdo que estabelece vínculos com o público
Outra maneira de utilizar o conteúdo a favor das vendas é no processo de criação de vínculos mais duradouros com o público alvo. Criar um canal no Youtube que seja referência para quem gosta de carros pode ser uma boa maneira de fidelizar clientes para uma concessionária, uma rede de oficinas ou uma loja de pneus, por exemplo.
E então: ainda tem dúvidas de que um bom conteúdo pode fazer toda diferença para seu negócio?
Extraído da Newsletter de administradores Nao faz referencia ao autor

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

LIDERANDO NA CRISE: UM MODELO PARA UMA LIDERANÇA EFICAZ

Hoje em dia, os líderes precisam estar visíveis, acessíveis e engajados. É muito comum a crise manter o líder atrás de portas fechadas. Ele se retira para sua sala, onde permanece atordoado por dados e tolhido por números, perdendo a conexão com seu pessoal.

Líderes confusos em geral acabam abandonando três princípios-chave da liderança em tempos de crise...

Mantenha-se engajado e lidere da linha de frente

Em tempos de crise, comunique-se constantemente com o seu pessoal. Fale a verdade. Lidere da trincheira, e não da retaguarda. Quanto mais tempo você passar na linha de frente, prevendo problemas, menos problemas vai ter para resolver...
nos dias que se seguiram ao 11 de setembro, o prefeito Rudy Giuliani percorreu as ruas, demonstrando visibilidade e acessibilidade enquanto consolava, encorajava, ouvia, planejava e liderava os esforços por limpeza e salvamento. Compareceu a mais de 100 funerais, fez reuniões diárias e se comunicou incessantemente;

Winston Churchill foi um modelo de engajamento na linha de frente quando se recusou a deixar Londres durante a blitzkrieg contra a cidade em 1940. Ele vivia em um bunker embaixo da terra e subia à superfície depois dos ataques para percorrer as ruas animando, consolando e anunciando a inevitável vitória;

em 2 de julho de 1864, quando o exército Confederado se aproximou do Forte Stevens, em Silver Spring, Maryland, em cerco a Washington, D.C., um oficial Unionista subiu à varanda do forte para estudar a situação, ficando sob o fogo dos atiradores. Este oficial – o Presidente Abraham Lincoln – tinha deixado a segurança da Casa Branca para se unir às tropas.

Muitos líderes, ao sentirem a crise, se enterram ainda mais em suas tocas. Desenvolvem uma mentalidade de bunker. Isolam-se em seus escritórios, tentando mudar os números, quando deveriam avançar e ajudar a mudar as pessoas – mudando, assim, os números.

Aponte para o panorama geral e comunique a visão

Em tempos de crise, o líder enfrenta fatos brutais, mas não perde a fé na capacidade de superação dele e de seu pessoal. Giuliani nunca minimizou as conseqüências do 11 de setembro, mas sempre deixou patente a confiança que tinha em ver o povo de Nova Iorque sair da situação mais forte que nunca. Churchill fez o mesmo ao repetir sua visão de vitória. A visão de Lincoln era clara: preservar a União.

Organizações voltadas para a visão sempre têm uma vantagem, mas, durante as crises, essa vantagem se torna maior ainda, já que todos têm um quadro geral de onde tiram inspiração para atravessar provações e retrocessos. Sem uma visão para manter o foco e a inspiração, as tarefas logo perdem o significado e você se vê sem motivação para continuar. 

Sobrecarregado pelas pressões dos problemas que se avizinham – sem perspectiva, significado ou direção –, você se rende à imobilidade e à inércia.

Procure opiniões justas e ponha a sua equipe em ação

Durante a crise, o líder precisa ter perto de si gente que ofereça aconselhamento, encare e diga a verdade, desafie, discuta sem pressionar, conduza reuniões sem fazer acusações e, tomada a decisão, se una em torno dela. Colin Powell disse: Durante uma discussão, ser leal significa dar a sua opinião, quer ache que eu vou gostar, quer não. Neste ponto, a discordância me estimula. Mas depois que a decisão é tomada, termina o debate. É então que ser leal significa me seguir e executar o que foi decidido.

Em tempos de crise, uma equipe de líderes com habilidades e talentos complementares consegue avançar com mais rapidez e eficiência. A formação de líderes capazes e leais paga altos dividendos. Seja pró-ativo e forme o seu dream team antes que a crise chegue. 

Tempos difíceis não criam líderes – simplesmente mostram o tipo de líder de que você dispõe.

AÇÃO: Aplique estes princípios à sua liderança.

Fonte
ANDERSON, Dave. Liderando na crise: Um modelo para uma liderança eficaz. [S.l.: s.n.].

sábado, 21 de novembro de 2015

Em cinco anos, vídeo corresponderá a 70% do tráfego móvel mundial

Em cinco anos, vídeo corresponderá a 70% do tráfego móvel mundial Por Redação | em 18.11.2015 às 08h21 Enviar por Email http://canalte.ch/S14R3 inShare Dados recentes do Mobility Report, estudo trimestral da Ericsson sobre telefonia, banda larga e infraestrutura, mostram que o tráfego de vídeo corresponderá a 70% do consumo de dados em redes móveis até o ano de 2021. O estudo analisou que, neste ano, o vídeo já representa metade do tráfego móvel mundial, enquanto o acesso às redes sociais soma 15% do tráfego. Em 2021, o tráfego das redes sociais representará 10%. De acordo com a Ericsson, o usuário já tende a preferir o consumo de vídeo e conteúdo por apps a realizar a navegação tradicional por sites na internet. A tendência é que isso se aprofunde nos próximos anos. A pesquisa também prevê um impacto gigantesco na capacidade das redes nos próximos cinco anos. Outro ponto avaliado pela pesquisa mostra que o tráfego mensal por usuário vai crescer 35% ao ano, passando da média mundial atual de 1,4 GB consumidos para 8,5 GB. Nos computadores, este tráfego será bem maior, passando de 5,8 GB ao mês para 20 GB mensais; e nos tablets de 2,6 GB para 9,7 GB. O total de tráfego móvel irá crescer dos atuais 5,3 exabytes para 51 exabytes, o que representa um crescimento de 45% ao ano. Já o tráfego em redes fixas passará de 60 exabytes atuais para 150 exabytes ao mês em 2021. Com o crescimento exponencial do tráfego em vídeo, as operadoras terão que aumentar os investimentos para aumentar a capacidade das redes. Segundo o Mobility Report, a tecnologia de backhaul que irá se destacar será a micro-ondas. Até 2020, 65% dos sites serão conectados por micro-ondas com capacidade de transmissão de até 40 Gbps. "Para levar as redes ao interior e áreas menos povoadas, a fibra não compensa", afirma Jesper Rhode, diretor de Marketing da Ericsson na América Latina. "Será, usada, mas concentrando-se na última milha, embora sua capacidade de transmissão seja muito maior". Para ele, o Brasil está preparado para seguir essa tendência graças à liberação das bandas de 70 GHz e 80 GHz pela Anatel. Via Tele Síntese

Matéria completa:
http://corporate.canaltech.com.br/noticia/internet/em-cinco-anos-video-correspondera-a-70-do-trafego-movel-mundial-52815/

O conteúdo do Canaltech é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o conteúdo original e não faça uso comercial de nossa produção.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Vender vender vender ...Tecnologias ? Publiquei de novo vale a pena

Vamos falar um pouco sobre captação de novos clientes. Esta é uma atividade nas empresas que é vista como algo chato, mas necessário. Num negócio, seja ele grande ou pequeno, é uma área que muitos deixam de lado por achar que a atividade fim é mais importante. Em tempos bicudos aonde tudo é feito por concorrência, vender e vender bem é o lema. Falar sobre vendedores em tempos de banco de dados, CRM, telemarketing, mailmarketing, pode ser antiquado, mas sem um bom vendedor, estas acões de comunicação não tem muita serventia. Sou da opinião que um bom vendedor é aquele que saía cedinho de casa, visitava o máximo de clientes e no final do dia mandava o pedido via correio. Conheci muitos vendedores de sucesso (leia-se: ganharam dinheiro) que trabalharam desta forma, administrando clientes com uma cadernetinha, cartões de visita e muita sola de sapato. Mas o fundamental é que eles conheciam seus clientes . Claro que os tempos são outros, mas o conceito continua o mesmo. Precisamos nos adaptar a tecnologia. No lugar de visitar clientes de porta em porta todos os dias, temos a internet e é lá que visitamos e somos visitados. A divulgação do site pelo Google e Yahoo é peça chave para captar novos clientes e gerar vendas. Na prática as coisas ficam mais fáceis desde que usemos a tecnologia a nosso favor. De que adianta um meio de comunicação como a internet se a usamos somente para enviar e-mails? A tecnologia esta aí para ser usada. Manter-nos atualizados sobre tecnologia deve ser um hábito diário. Elas mudam todos os dias. Este acompanhamento é fundamental para o crescimento do nosso negócio. O mercado apresenta soluções interessantes que vão desde programas gratuitos, serviços, informações para qualquer pessoa ou empresa não importando o tamanho e o custo, que em alguns casos pode ser ZERO. Portanto é simples e façil, é só começar.

O acaso vai nos surpreender permita - se !!!!